• UMA POR DIA

FLAVIA BIGGS - THE BIGGS | GIRLS ROCK CAMP BRASIL | VIVA MENINAS | FESTIVAL SONORA SOROCABA




Flávia Biggs é natural de Sorocaba, mãe do Gael, compositora, produtora cultural, socióloga, educadora, militante feminista e palestrante em questões de Gênero e educação, movimentos sociais e mulheres na música. É fundadora do Girls Rock Camp Brasil, professora de Sociologia, Idealizadora do Projeto Viva Meninas - Empoderamento e Cidadania. Seu primeiro contato com música foi na infância, com seu pai ouvindo sertanejo raiz. O interesse pelo rock veio por influência do seu irmão, Anderson, que andava de skate e ouvia bandas como Gun´s e Metallica. Foi na sua convivência com a "galera do skate" que Flávia começou a curtir punk, hardcore, alternativo e indie. Aos 13 anos de idade ganhou a primeira guitarra, presente de sua mãe, sugerido por sua irmã, Adriana. A guitarra foi um instrumento determinante pra vida de Flavia, não só na sua formação musical, mas também em todos se desenvolvimento pessoal, profissional e político. Foi conhecendo o movimento Punk e se envolvendo com questões políticas e e transformações sociais que Flávia optou pelas Ciências Sociais.

Desde 1996, Flávia é guitarrista da banda de rock The Biggs, power trio com melodias que passeiam entre o grunge punk, alternative rock, riot punk e stoner rock. A banda faz um som barulhento, sujo e com melodia, daqueles sons que dá pra dançar e bater cabeça ao mesmo tempo. Suas influências vão de Stooges á Bikinni Kill, de T-Rex á Babes in Toyland, de MC5 á SonicYouth.


A The Biggs é: e Brown Biggs (bateria), Mayra Biggs (baixo e vocal) e Flávia Biggs (guitarra e vocal).


Fotos: Larissa Zaidan / Facebook


DISCOGRAFIA THE BIGGS

See Stars | K7 (1997)

Kind-Hearted | K7 (1999)

Wishful Thinking | CD (2001) | Gig Records

I'll Walk You Up | Single (2002)

The Roll Call | Álbum (2009). (Battle) Fields | Single (2015)

Breech Delivery | Single (2015)



COLETÂNEAS

Up the Grrrls (2020) | Faixas: "Not the Same" e "Esthetic Standards"

Selo Panx Producions - França


Guitar Days (2019) | Faixa Breech delivery


Sangue Preto (2020) | Faixa: The Terrorist





The Biggs participou ativamente do boom de bandas femininas e Riot Grrrl e da cena indie rock dos anos 90. Já esteve presente no programa Lado B na MTV, programa pioneiro na divulgação de bandas de rock alternativo e indie rock, além do Musikaos na TV Cultura e Radar na TVE. Se apresentou em festivais como Goiânia Noise Fest, Araraquara Rock, Circadélica e fez turnês pelo Brasil, Argentina e Uruguai. A banda ainda é citada no Livro “O que é punk?” de Antonio Bivar.




A banda tem dois videoclipes lançados, das músicas I Know It e (Battle)fields, o mais recente.



Em 2019 a banda participou também do Guitar Days, um documentário independente de Caio Augusto Braga e que conta a história das guitar bands brasileiras, com bandas que foram a gênese do indie rock nacional. É uma produção DIY sobre artistas que fazem dessa filosofia a sua única possibilidade de manutenção no cenário musical brasileiro.

O BOM E VELHO "DO IT YOURSELF".



The Biggs continua escrevendo sua história no underground nacional e para celebrar os 25 anos de estrada a banda está preparando um material comemorativo em parceria com o selo Lastro Musical, ainda sem previsão de lançamento.


Durante a pandemia, a banda segue participando de ações online, como o festival Viva Girls Rock Camp.



De 2001 a 2006 Flávia foi guitarrista da banda Dominatrix, banda punk feminista da cidade de São Paulo, tendo participado de turnês pela Alemanha e pela Países Baixos, com bandas como S.O.L. e Ebola e tocou no prestigiado festival feminista "LadyFest Amsterdam".


Em 2003 a Dominatrix fez turnê nos EUA com a banda Haggard, do selo Mr. Lady. Tocaram em 14 shows em cidades como Los Angeles, Portland, Olympia, Seattle, entre outras.

Flávia Biggs é fundadora do Girls Rock Camp Brasil. É uma atividade dedicada ao empoderamento e protagonismo de meninas e dissidências, através da música, da arte e do pensamento crítico, direcionado para crianças e adolescentes de 7 a 17 anos.


Com duração de uma semana, o Girls Rock Camp propõe a aventura de aprender a tocar um instrumento, formar uma banda, fazer uma composição inédita e apresentá-la num show ao vivo, para os pais, familiares, amigos e toda a comunidade. Tudo isso em meio a diversas oficinas temáticas que colaboram para o fortalecimento de autoestima, desinibição, trabalho em grupo. A equipe conta com de cerca de 85 voluntárias, envolvidas com música, arte e movimentos sociais, de diversas partes do Brasil e também do exterior. Essas voluntárias compartilham seu tempo, talento e força de vontade com as meninas, plantando a semente da equidade de gênero para uma sociedade mais justa para todas e todos.


Fotos: Facebook



A iniciativa faz parte da Girls Rock Camp Alliance, uma organização fundada em Oregon, nos Estados Unidos, que reúne eventos similares em todo o mundo. Flávia é membro do conselho diretor da organização. O Girls Rock Camp Brasil é pioneiro na América do Sul, tendo inspirado o surgimento de outros camps no Peru, Argentina, Chile, Paraguai e mais outros dois no sul do Brasil.


Em 2020 o instituto foi indicado ao prêmio SIM na categoria "Inovação e Transformação Social".


Já o Ladies Rock Camp oferece uma oportunidade para as mulheres acima de 21 viverem a experiência empoderadora em se ter uma banda de rock. As participantes aprendem e/ou melhoram o seu instrumento escolhido, formam uma banda, trabalham com outras mulheres para juntas compor uma canção autoral e se apresentar em um show ao vivo.

O programa conta também com Oficinas de Defesa Pessoal, Composição Musical, Imagem e identidade, Palco e Performance, Serigrafia/Stencil, Fanzines, entre outras. E também possibilita assistit shows ao vivo de bandas com mulheres ao longo da semana.


Em 2020 o sonho de ter uma sede própria se tornou realidade, e nasceu o Instituto Cultural Girls Rock Camp.




Flávia é também idealizadora do Viva Meninas, projeto que tem como objetivo de empoderar garotas em situação de alta vulnerabilidade na cidade de Sorocaba. O Viva Meninas é realizado pela Prefeitura de Sorocaba, por meio das Coordenadorias da Juventude e da Criança e do Adolescente, da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).


Para promover estas vivências são utilizadas diferentes linguagens que propiciam uma experimentação diversificada e a descoberta de habilidades, como: Guitarra para Meninas, Fanzines, Skate para Meninas, Imagem e Identidade, Técnica de Estêncil, Fotografia Criativa I, Fotografia II – Instantânea e Vídeo Experimental.




Desde 2011 Flávia é também idealizadora da Mostra de Arte das Mulheres de Sorocaba e produz localmente o Festival Sonora Sorocaba. A proposta é dar visibilidade ao trabalho artístico das mulheres, além da música e parte da sua militância feminista, utilizando a arte como ferramenta de empoderamento político e sensibilizador de transformação social.



E para finalizar, vale o play nesse vídeo da Batuta Filmes onde Flávia fala sobre a luta das mulheres, o processo transformador dentro do Girls Rock Camp e a necessidade de articulação da sociedade em busca da igualdade de gênero.




COLABORE! Siga os perfis da banda The Biggs, do projeto Girls Rock Camp, do projeto Viva Meninas nas redes sociais! Curta, comente, compartilhe, recomende! Vamos nessa?


Instagram

@thebiggsrock @girlsrockcampbrasil

Facebook

The Biggs Girls Rock Camp

Projeto Viva Meninas

Youtube

The Biggs Girls Rock Camp


Spotify

The Biggs

SITE OFICIAL GIRLS ROCK CAMP BRASIL

https://www.girlsrockcampbrasil.org/


CONTATO

flaviabiggs@hotmail.com


Ouça o álbum The Roll Call no Spotify



66 visualizações

Posts recentes

Ver tudo